• Autor Kahlil Gibran
  • Ilustrador
  • Coleção Percursos Espirituais
  • ISBN 9789898873057
  • PVP 13,29 € (IVA incluído)
  • preço fixo até fim de janeiro de 2019
  • 1ª Edição julho de 2017
  • Edição atual
  • Páginas 144
  • Apresentação capa mole
  • Dimensões 150x230x9,5 mm
  • Idade

Ler e meditar nas palavras de O Profeta é fazer uma viagem à raiz da nossa existência.

«Al-Mustafá, o escolhido e o amado, esperou 12 anos na cidade de Orphalese pelo seu navio, no qual haveria de regressar à ilha onde nascera. O mar, que a si chama todas as coisas, chama-me? e eu devo embarcar. De boa vontade levaria comigo tudo o que aqui existe. Mas como poderei fazê-lo? E os anciãos da cidade adiantaram-se e disseram: Não vás ainda de entre nós. Pedimos que, antes de nos deixares, nos fales e dês a tua verdade.»

Pela voz do profeta Al-Mustafá, o autor fala das questões centrais da existência humana, como o amor, a liberdade, a religião ou a morte. Publicado pela primeira vez em 1923 e reeditado inúmeras vezes por todo o mundo, O Profeta é uma das obras mais inspiradoras da literatura espiritual, tendo já vendido dezenas de milhões de exemplares.

O segredo do seu sucesso está na linguagem poética simples, mas profunda e inspiradora, que esta nova tradução preserva, oferecendo um autêntico mergulho na sabedoria inata de cada ser humano.

Nova tradução do filósofo José Luís Nunes Martins, cronista da Rádio Renascença e autor de livros como Os Infinitos do Amor (Ed. Paulus, 2015) e O Rosário para Crentes e Não-Crentes (Ed. Paulus, 2016).

Kahlil Gibran nasceu em 1883, numa aldeia maronita cristã nas montanhas a norte do Líbano. Ainda muito jovem, emigrou para os EUA. Após regressar ao Líbano, partiu depois para Paris, onde estudou com Auguste Rodin. Em 1912, mudou-se para Nova Iorque. O seu talento artístico revelou-se em áreas como a filosofia, a poesia e a pintura. Foi considerado uma figura de grande importância na literatura árabe moderna, com uma obra acentuadamente marcada pelo misticismo oriental. Contudo, a beleza e a espiritualidade dos seus textos literários são reconhecidas e admiradas para além do mundo árabe. Faleceu em 1931, mas a sua reputação literária ficou definitivamente estabelecida com a publicação de O Profeta.